Colóquio, o segundo, sobre José Saramago será realizado por iniciativa da URFN, em novembro. Ainda sem conseguir acesso à programação, o texto de apresentação anuncia rico o evento que tratará do Prêmio Nobel de Literatura (1998), nascido em Azinhaga, Portugal.


0 visualização0 comentário

Nem sempre é fácil

encontrar a rima

poetas o sabem

na militância infinda

mas militar é que ensina

se ter arma é bom

melhor será a vacina

mesmo se parece

desejável mais que tudo

a propina

tornando a vida

miserável

tão pequena

mas onde há alma

sendo ela

sonho impossível

sonhado

sempre valerá

a pena...



Manaus, 19.10.2021

1 visualização0 comentário

Até aonde a vista alcança. a terceira via parece mais próxima de ganhar viabilidade em torno do justiceiro da república do Paraná. Convergem os interesses dos que, seguindo-lhe os passos dentro do País e alheios ao menor sentimento ético, apoiaram os crimes por ele cometidos contra os que não rezam por sua cartilha, e os de fora, patrões pressurosos e atentos. Se os primeiros já não se contam com os mesmos números de antes, os outros tendem a crescer, no rastro com que o futuro ex-empregado marcou sua passagem na capital do Mundo. Além desse apoio cada dia tornado mais transparente, não se poderá ignorar, em meio à intensa mobilização das forças políticas, nem sempre perceptíveis com clareza, dentro do País, outras fontes de apoio ao ex-magistrado. Em política, enfim, os interesses, não qualquer outra motivação provocam adesão e rejeição. Nem por isso, deixam de ser noticiados fatos (ou factoides?) no mínimo estranhos, envolvendo segmentos aparentemente voltados à resolução dos mais graves problemas nacionais. Pelo menos, segundo suas importantes lideranças alegam. Dentre esses, há quem os classifique como os generais de Moro. Nem se pode lembrar existirem nas forças armadas funcionários fardados para os quais o ordenamento jurídico restringe-se ao RDE. Às favas a Constituição e todo o arcabouço que sustenta o Estado Democrático de Direito. Porque não foi outro o alvo da ação do ex-juiz federal e em seguida empregado de empresa norte-americana arrolada em ilícitos ligados ao chamado petrolão. Se afirmar ser essa última circunstância - a rejeição à ordem jurídica democrática - a razão da convergência, não o é supor ter muito a ver uma coisa com a outra.

2 visualizações0 comentário