Arquitetado e Produzido por WebDesk. Para mais informações acesse: wbdsk.com

Todos os Direitos Reservados | Propriedade Intelectual de José Seráfico.

Para uma melhor experiência, ouça a música tema da página!

00:00 / 03:07

José Seráfico

JOSÉ da Silva SERÁFICO de Assis Carvalho, nascido em Belém do Pará, iniciou sua viagem em 23 de abril de 1942. Seu percurso inclui a passagem por estabelecimentos de ensino exclusivamente públicos (Grupo Escolar Pinto Marques; Colégio Estadual Paes de Carvalho e Faculdade de Direito da Universidade Federal do Pará). Recebeu o diploma de bacharel em 1965. Demorou pouco tempo advogando. Fez-se Professor de Administração pela Escola Brasileira de Administração Pública- EBAP (I PRONAPA, Programa Nacional de Aperfeiçoamento de Professores de Administração), na Fundação Getúlio, Vargas, Rio de Janeiro, em 1967. Completou o currículo escolar em cursos de pós-graduação (Desenvolvimento Econômico, CEPAL; e Administração de Projetos Universitários – Escola Interamericana de Administração Pública- EIAP/FGV).

Aos 12 anos de idade, foi atraído pelas letras. Na 2ª série do CEPC, manteve um “jornalzinho”, de um só exemplar, “O Clarim”. Wagner de Andrade Figueira, amazonense, era seu colega nessa primeira aventura “jornalística”. Ginasiano, dirigiu o “CEPC”, do Centro Cívico Honorato Filgueiras. Universitário, com um colega (Mariano Klautau de Araújo), dirigiu o TABLÓIDE-UAP. Então, já trabalhava ano Jornal do Dia, Belém-PA.

Transferido para Manaus, foi editorialista de A Crítica por mais de 20 anos. Produz artigos semanais assinados, editados por esse mesmo jornal. Permaneceu por anos como articulista de O Liberal, de Belém. Superam os 3.000 os artigos editados pelos dois diários, mais os que tem publicados em outros veículos. Num deles, do Instituto de Estudos Avançados, da USP, é parceiro do sociólogo Marcelo, seu filho. Escrevem sobre a zona franca de Manaus.

Adolescente, participou de grupos literários de que foi fundador, com outros colegas de viagem: Silogeu dos Novos e Centro de Propagação Cultural, ambos em Belém. Só em 1995 teve publicado o primeiro livro de sua autoria – Memórias Talvez Precoces, CEJUP, Belém, PA. (Se desdenharmos da plaqueta com que foi classificado em primeiro lugar, em concurso nacional promovido pelo Conselho Federal de Administração, sobre o estágio supervisionado (1984).

É autor as seguintes obras:

Memórias Talvez Precoces. Editora CEJUP, Belém, PA. 1992. 159 pp.

Reflexões de um Eterno Aprendiz. Editora da Universidade do Amazonas. Manaus, Am. 1995. 286p.

A República dos Anões. Editora Lorena, Manaus, AM. 1995. 98p.

Métodos e Técnicas de Pesquisa Aplicados à Administração. Editora da Universidade do Amazonas. Manaus, AM. 1996. 140p.

Como funciona a Administração. Editora Valer, Manaus, AM. 2000. 136 p.

Do ABC ao planalto. Editora Valer. Manaus, AM, 2006. 200 p.

O desafio amazônico. Imprensa Oficial do Estado, Belém, PA. 2007, 156 p.

A propósito de ciência e pesquisa. Do autor, Manaus, AM, 2010. 102 pp.

Nosso Pai João Seraphico. Paka-Tatu, Belém, PA, 2010. 182 p.

Bússolas. Editora Valer. Manaus, AM. 2011. 174 pp.AM. 2011. 174 pp.

Mais um Pedaço. Editora da Amazônia. Manaus, AM. 2013. 250pp.

As casas que moram em mim. Supercores, Belém, PA.2015. 104 pp.

Aleivosias poéticas. Editora Grafisa, Manaus, AM, dezembro/2018, 177 pp.

Sete mentiras capitais. Editora Cultural Brasil, Belém, PA, 2019. 72 pp.