top of page

Riscos

A rigor, toda decisão envolve riscos. Avaliar entre as suas inevitáveis consequências, desejáveis e indesejáveis, é o mais pesado ônus imposto ao decisor. Também o mínimo que tem a fazer o administrador responsável. Tanto mais se conheçam os problemas e as circunstâncias a ele relacionadas, maior a probabilidade de reduzir as más consequências e otimizar os resultados positivos. Repita-se, sempre buscando a percepção mais ampla do problema. A busca dessa percepção, não raro esbarrando em dificuldades, tem feito muito decisor desistir. Estaremos, portanto, diante de um mau decisor. Alguns chegam até ao extremo da omissão. Esta, sem dúvida, a pior decisão. Ainda agora, se os meios de comunicação estão informando corretamente, pouco se pode esperar da mobilização dos setores oficiais, em relação à segurança nas escolas. A morte de 4 crianças e os ferimentos em outras na faixa etária de 4 a 7 anos, em creche de Blumenau - Santa Catarina, tem dado mais destaque aos aspectos da segurança que à questão educacional. Fala-se de tudo, inclusive o recorrente agravamento das penas. Não tardará, quando outras mortes tiverem sido choradas e novas tragédias ocuparem o tempo e o espaço dos media, serão mostrados os oceanos de dinheiro público despendido, como se o enriquecimento dos que o terão recebido fosse o único e exclusivo objetivo. Os verdadeiros traficantes continuarão a frequentar as altas rodas, derramadas as lágrimas dos familiares da raia miúda.

P

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Nem bancada é necessária

A repercussão do tiro que feriu a orelha de Donald Trump vem carregada de dúvidas e suspeitas. A leitura dos mais influentes meios de comunicação dos Estados Unidos da América do Norte gera, no mínimo

Uns e outros

E necessário insistir: governos não erram, apenas escolhem os beneficiários de suas decisões. Alguns, como o do triPresidente Lula, têm que se submeter a práticas viciadas e danosas à sociedade. Mesmo

A soberania transferida

Muito se tem discutido a respeito do papel do Banco Central. Não o suficiente, porém, para permitir julgamento e manifestações destituídos dos valores e interesses postos em jogo, nem sempre de maneir

Comments


bottom of page