top of page

A moral

Patriotadas deveriam merecer tratamento rigoroso. Tanto dos que se dizem dotados de altíssimo amor à pátria, quanto dos legisladores. De tal modo, que não restasse dúvida quanto ao conteúdo desse sentimento e das ações em que seu nome são praticadas. Valeria, na apreciação dos fatos, avaliar o grau do vínculo entre a proclamação e o ato praticado. Quanto maior a contradição entre um e outra, maior a pena a ser aplicada. Um exemplo: no caso de um diplomado em nível superior, essa qualidade tornaria mais rigoroso o regime penitenciário, se comparado ao que se aplicaria a um analfabeto. Exatamente o inverso do que é. A conduta de muitos patriotários brasileiros, alguns deles parlamentares, tenta desmerecer as instituições e o Estado brasileiro, atacado por estrangeiro ameaçado em seus negócios no País. Os reiterados sinais e indícios que excluem Elon Musk do rol dos seres humanos saudáveis, ao invés de arregimentar os "patriotas" em defesa de sua "pátria", operam no sentido contrário. Mesmo se os antecedentes recomendem, no mínimo, negar-lhe autoridade para investir contra decisões soberanas, não é isso o que acontece. Como se já não nos bastasse tolerar os delinquentes e mentirosos nativos, ainda se tem que admitir a interferência de indivíduos cujo deus é o dinheiro. A moral, nesse caso precisa ter o espaço entre o artigo e o substantivo suprimido. Amoral é a conduta de uns e outros. Quando não se constitui em ato ilícito. É este, porém, o caso. Os espertalhões que se valem de nossa indiferença ainda encontram aqui aliados dispostos a alterar até o significado das palavras e enfraquecer nossa resistência. Uma agravante para os crimes que, devida e sobeja ente apurados, já recomenda sejam mandados para o lugar merecido: a penitenciária.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Prioridades

Pelo menos não se pode acusar o governador Eduardo Leite de insincero. É possível que nele se tenha manifestado o que meu velho e saudoso mestre de Direito Penal Aldebaro Klautau chamava oasis de honr

Pedagogia da porrada

A aprovação das chamadas escolas cívico-militares, pela Assembleia Legislativa de São Paulo deixou sua marca e, ao mesmo tempo, um presságio. Deu para ver cassetetes empunhados por policiais militares

Naufrágio semTitanic

É mais rápida a disseminação da mentira, comparada à divulgação da verdade. Ainda mais, quando o avanço tecnológico coloca à disposição dos mentirosos meios que asseguram, concomitantemente, anonimato

Comments


bottom of page