top of page

Tempos trevosos

Se já vivemos em tempos de trevas, aumenta nossa responsabilidade sobre que tempos desejamos viver, a partir de 01 de janeiro de 2023. O humorista Eddy Jr., agredido por vizinhos, porque é preto e pobre, decidiu deixar o apartamento em que morava, pela insegurança que o cerca. Alguns vizinhos dele, ao invés de forçar (a convenção dos condomínios favorece isso) a saída dos agressores, saudou e elogiou a decisão de Eddy de abandonar sua casa, ao menos temporariamente. O correto, se estamos falando de respeito aos direitos humanos, seria serem as autoridades acionadas para: 1º. determinar medidas cautelares que evitassem a repetição das agressões e ameaças que o humorista sofreu. A mulher racista e seu filho, por exemplo, poderiam ser proibidas de aproximar-se dele em número de metros correspondente ao alcance de uma garrafa de vidro ou de um facão; 2º. busca e apreensão no apartamento dos racistas, para levar de lá armas de fogo que, devidamente autorizadas e de uso estimulado pelas autoridades, eventualmente estejam sob sua guarda; 3. aplicação de todas as penalidades (por enquanto, soube-se que lhes será aplicada a multa prevista;) legal ou convencionalmente previstas. Nunca o voto do cidadão valeu mais quanto hoje. Com ele, pode fazer-se a luz. A História está cheia de exemplos trágicos que começaram assim. Não é um bigodinho no rosto furibundo que leva a esse situação de barbárie, mas o que frequenta cabeças (se há algo dentro delas, além de esterco) e corações enfurecidos.

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

França e franceses

Mais uma vez vem da França o anúncio de novos avanços na História. Esta quinta-feira marca momento importante daquela sociedade, há mais de dois séculos sacudida pelo lema liberté, fraternité, egalité

Uso indevido

Muito do que se conhece dos povos mais antigos é devido à tradição oral e a outras formas de registro da realidade de então. Avulta nesse acúmulo e transmissão de conhecimentos a obra de escritores, f

Terei razão - ou não

Imagino-me general reformado, cuja atividade principal é ler os jornalões, quando não estou frente à televisão, clicando nervosamente o teclado do controle remoto. Entre uma espiada mais demorada e ou

Comments


bottom of page