top of page

T E S T E M U N H O

Orlando Sampaio Silva


Nasci em 1932.

A partir dos sete anos de idade,

em 1939,

tornei-me testemunha ativa

da história dos humanos,

a história que transcorria ante meus olhos e ouvidos,

nos jornais, no rádio, no cinema

e nas conversas entre as pessoas.


Desde 1930,

nosso povo vivia sem liberdade,

sob a Ditadura Vargas.

Em 1939, a humanidade mergulhou

nos horrores da II Grande Guerra.

Em 1945, enfim, a vitória

da paz e da liberdade,

com o fim da Guerra Mundial

e da ditadura do Estado Novo.

Vivemos, então, os anos dourados,

a liberdade floresceu.

Brasília foi construída.

Porém, em 1964, novo episódio de força

subtraiu do povo, mais uma vez,

a liberdade: o golpe militar

e a ditadura, que durou mais de 20 anos.

Porém, a luz das liberdades democráticas

nos reiluminou em 1985,

e, em 1988, conquistamos nova Constituição

com cidadania plena.


Pelos cominhos incertos da história,

atingimos o dia 1º de janeiro de 2019,

e os brasileiros voltaram a viver

em um cenário de incertezas,

na expectativa de

que destino está sendo desenhado

para a vida de nosso povo

sob a ameaça da anomia

e do esfacelamento de direitos,

e de tantos valores

arquitetados pela ética e pelos éticos

ao longo dos tempos,

em mais uma queda

no abismo do obscurantismo.


Em um voo em direção ao passado,

é possível sentir no Mundo

que estamos sob o risco

da restauração

dos mais tristes e dramáticos episódios

das guerras, da opressão,

das perseguições e da tortura,

do sacrifício das liberdades

e - quem sabe? - da volta das chamas das fogueiras

em que pessoas eram sacrificadas

por serem infiéis, judeus e

“bruxas”,

ou, do tempo em que Jesus

foi crucificado

por ser pobre e não ser romano,

por ser judeu,

por ser um simples artesão, carpinteiro,

por caminhar, pés descalços,

acompanhado de humildes pescadores

e de uma mulher que havia sido prostituta,

e por ter a coragem de

pregar a prevalência

do perdão,

da paz,

da solidariedade

e do amor

entre todos os viventes.

(S. Paulo, 06/01/2019)



2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page