Sem mato e sem cachorro

Cassar sempre será mais fácil que caçar. Nesta, precisa-se ter cachorro (à falta dele, gato serve). Na outra, o verbo substitui com vantagem o substantivo: matar é diferente de manter a mata. O cão necessário está na mão. Nesta, o revólver. Que não é a única fonte do fogo que se espalha. E a Amazônia, oh, desertificando-se! Disso já se sabe, e o próprio vice-Presidente Hamilton Mourão já admite, porque o Instituto Nacional de Pesquisa Espacial - INPE, o atesta: o desmatamento da Amazônia cresceu 34%, entre 2018-2019. O Pará, paraíso dos desmatadores, fez corte raso em mais de 40% da área desmatada em toda a região, sendo que os Estados do Tocantins (0,23%) e Amapá (0,32%) foram os que menos desmataram. Pará, Amazônia, Mato Grosso e Rondônia respondem por quase 85% do total, cerca de 10.000 hectares devastados. Mata, assim, no dialeto regional representa mais um tempo e modo verbais que um substantivo. Pelo menos, na gramática dos que mandam.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Quantos são

O dia chegará, como chegou para os responsáveis pelo Holocausto. O genocídio de 6 milhões de judeus, negados ainda hoje pelos discípulos e seguidores do Führer. O rol dos acusados só não levará à barr

Melhor calado

Afinal, o ex-Presidente Fernando Henrique Cardoso se manifestou. Desta vez, para recriminar correligionários e liderados aptos a se alinhar com Henrique Lira, na disputa pela Presidência da Câmara dos

Mestra da vida

Ver os acontecimentos quando eles estão ocorrendo é bom. Mas não dispensa conhecermos os fatos que não vimos quando ocorriam. Quem quiser saber mais sobre a participação dos militares em nossa vida po

Arquitetado e Produzido por WebDesk. Para mais informações acesse: wbdsk.com

Todos os Direitos Reservados | Propriedade Intelectual de José Seráfico.