top of page

Perdemos em humor

A morte, aos 84 anos, de José Eugênio Soares, leva um pouco do humor que ele tanto soube explorar. Extremamente criativo e mordaz, Jô estava sempre bem informado e, por isso, prestava à sociedade serviços que muitos dos chamados representantes populares se negam -ou não sabem - prestar. Os programas Viva o gordo, Faça humor não faça a guerra e Programa do Jô por isso fizeram história. Nem o reconhecido interesse por mostrar sua cultura ao pé da igualdade com que obtinha informações e opiniões dos entrevistados, diminui sua importância na televisão brasileira. A rigor, seus espetáculos solo antecipam os chamados stand-up.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Não fazem falta

Há indivíduos que, ausentes, fazem enorme favor aos outros. Cafu e Ronaldinho Gaúcho organizam um jogo entre veteranos, cuja renda se destinará às vítimas das enchentes do Rio Grande do Sul. Enquanto

O medo da urna

A credibilidade do governador Eduardo Leite afundou de vez nas águas do Guaíba e outros rios. Quando todas as cidades atingidas pelas enchentes baixarem, restará na lama o prestígio do governante. Alé

Provas provadas

A Revista de Saúde Pública, do Instituto Sérgio Arouca, tirou as dúvidas. Nós municípios em que o ex-capitão excluído das forças armadas e tornado inelegível venceu as eleições de 2022, o índice de mo

Comentarios


bottom of page