top of page

Morbidez

Mórbida é o mínimo que se pode dizer da inspiração que traz o coração de D.Pedro I ao Brasil. O órgão é mantido em museu da cidade do Porto, em obediência a um pedido do próprio imperador. Não há como evitar a lembrança de uma canção criada e interpretada por Vicente Celestino, em 1937. Ela contava a história de um camponês apaixonado, que arrancou o coração da própria mãe, dando-o de presente à amada. Se D. Pedro já está morto, os zumbis que perambulam pelas nossas ruas, palácios e gabinetes também ostentam corações sem função. A morbidez da visita tem tudo a ver...

30 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

França e franceses

Mais uma vez vem da França o anúncio de novos avanços na História. Esta quinta-feira marca momento importante daquela sociedade, há mais de dois séculos sacudida pelo lema liberté, fraternité, egalité

Uso indevido

Muito do que se conhece dos povos mais antigos é devido à tradição oral e a outras formas de registro da realidade de então. Avulta nesse acúmulo e transmissão de conhecimentos a obra de escritores, f

Terei razão - ou não

Imagino-me general reformado, cuja atividade principal é ler os jornalões, quando não estou frente à televisão, clicando nervosamente o teclado do controle remoto. Entre uma espiada mais demorada e ou

Comentarios


bottom of page