Mira certa

Desta vez o senador Plínio Valério parece mirar em alvo certo. Não creio que seja o único a entender a quem cabe pagar a conta de nossas tantas e tão graves mazelas. Nem é pequeno o número dos que já entenderam ser a desigualdade, não a pobreza (porque pobres não somos) o grande e fundamental problema a combater. Mas o que se mostra, ao menos nas páginas dos jornais, interessado em ver aprovada a taxação das grandes fortunas é ele, caboclo amazônico como nós. Se conseguirá ver pagarem os pecadores pelos pecados, aí é outra história. Embora reverenciando insistentemente a necropolítica em vigor, Plínio agora deu o que o líder do pandemônio chamaria fraquejada. E se engajou no tiroteio do lado certo. A expressão (tiroteio) não é sem propósito, como os próximos dias mostrarão. Convém, de qualquer forma, olhar para os lados, sem preconceitos, perversões, má vontade, quando há quem esteja aproveitando a pandemia para morder os cofres públicos. Nunca será prudente esquecer do Centrão. Nesse grupo, tudo é superlativo, do número de integrantes aos apetites.

2 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Aparências ilusórias

O pior juízo político advém quase sempre da superficialidade com que o fato é encarado. Descuidam-se assim os pretensos observadores do que está por trás dos fatos e dos atos. Contentam-se em apreciar

Palavras sem fingimento

Visito o interessante blog palavradofingidor, do poeta Zemaria Pinto, e me surpreendo. Lá está, beneficiário da extrema generosidade do editor, meu poema O tempo. Zemaria destacou-o dentre os poemas p

À palmatória

Durante muito tempo, recriminei Édson Arantes do Nascimento. Cheguei a destoar do culto a ele prestado, pela rejeição a certas condutas que se diziam dele. Cabelos encanecidos mostraram a prudência de

Arquitetado e Produzido por WebDesk. Para mais informações acesse: wbdsk.com

Todos os Direitos Reservados | Propriedade Intelectual de José Seráfico.