Mira certa

Desta vez o senador Plínio Valério parece mirar em alvo certo. Não creio que seja o único a entender a quem cabe pagar a conta de nossas tantas e tão graves mazelas. Nem é pequeno o número dos que já entenderam ser a desigualdade, não a pobreza (porque pobres não somos) o grande e fundamental problema a combater. Mas o que se mostra, ao menos nas páginas dos jornais, interessado em ver aprovada a taxação das grandes fortunas é ele, caboclo amazônico como nós. Se conseguirá ver pagarem os pecadores pelos pecados, aí é outra história. Embora reverenciando insistentemente a necropolítica em vigor, Plínio agora deu o que o líder do pandemônio chamaria fraquejada. E se engajou no tiroteio do lado certo. A expressão (tiroteio) não é sem propósito, como os próximos dias mostrarão. Convém, de qualquer forma, olhar para os lados, sem preconceitos, perversões, má vontade, quando há quem esteja aproveitando a pandemia para morder os cofres públicos. Nunca será prudente esquecer do Centrão. Nesse grupo, tudo é superlativo, do número de integrantes aos apetites.

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Sem zona

Proposta do Prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues (PSOL) assegurou renda básica de R$ 450,00 aos vulneráveis, durante a pandemia. A decisão teria sido unânime, se uma das vereadoras não tivesse tido p

Trágica parceria

Tinha assento no falecido CDES-Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Presidência da República, quando a proposta de criar parcerias público-privadas estava sob os holofotes. Boa coisa, pre

Comparação

Aos fissurados por números, talvez valha comparar. Cuba, com pouco mais de 11 milhões de habitantes, registra menos de 20 mil casos (0,19% da população) de covid-19, dos quais morreram 180 (0,9% dos

Arquitetado e Produzido por WebDesk. Para mais informações acesse: wbdsk.com

Todos os Direitos Reservados | Propriedade Intelectual de José Seráfico.