Lei Rouanet e lobby

Não me causa nenhuma surpresa acompanhar as reviravolta da política e de seus agentes. Embora condene as práticas e os expedientes de que se valem, legal ou ilegalmente, os profissionais do ramo, a idade não mais permite deixar-me reivindicar lugar na barca das ilusões. O melhor camarote não me acomodaria. Não é que tenha desistido de lutar pelo que considero justo e dignificante. Sinto, porém, chegada a hora de, serenamente, compreender as razões e sem-razões humanas. Melhor seria ver postados nos pontos estratégicos e importantes da República cidadãos qualificados. Não os vejo apenas dentre os que chegaram à escola superior, tanto sei de beneméritos que assim se tornaram sem ostentar um diploma de graduação. A escolaridade confere o certificado, mas o que atribui qualidades com as quais o indivíduo não nasceu dispensa matrículas e provas escolares. Fernando Henrique Cardoso não me deixa mentir. Hoje, esse sentimento see torna mais profundo, quanto mais tempo dedico a penar meu tempo e meus contemporâneos. Isso torna difícil admitir a lei de incentivo à cultura ser utilizada pelos que a condenaram e ameaçaram revogá-la, no pior sentido que se poderia dar a ela. Refiro-me, especificamente, ao anúncio de que um filme e outras peças publicitárias se valerão do tão mal falado diploma legal para apoiar a reconstrução da BR-319. Esta rodovia, como se sabe, de menina dos olhos dos empreiteiros, tornou-se excelente cavalo de batalha dos que veem as preocupações com o meio ambiente como coisa de comunistas e inimigos da pátria. Mesmo se os defensores das comunidades indígenas e da floresta em pé dobrassem os joelhos em reverência à bandeira de outro país. Mas lobby é lobby e tudo vale na guera suja. (Como se toda guerra não o fosse!).

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Egoísmo no atacado

Manaus talvez tenha sido a primeira cidade a registrar uma das formas mais ignóbeis do egoísmo humano, nesta fase de pandemia. Aqui, pessoas desprovidas do menor senso de humanidade furaram a fila da

Eras nada priscas

Vivemos, no Brasil e em outros poucos países do mundo, realidade capaz de sugerir aos historiadores relato cujo título bem poderá ser Era dos dias incompreensíveis. Não é pequena a literatura sobre a

Leite e lágrimas

Empenhado na tarefa de desmoralizar o Sistema Único de Saúde, revelar desprezo pela Ciência e não deixar dúvida sobre seu ódio à Humanidade, o Presidente da República visitou Chapecó. Naquela cidade c

Arquitetado e Produzido por WebDesk. Para mais informações acesse: wbdsk.com

Todos os Direitos Reservados | Propriedade Intelectual de José Seráfico.