Guerra e Paz

Em meio ao pessimismo que muitos tentam generalizar, uma notícia auspiciosa: a Fundação Oswaldo Cruz espera iniciar a vacinação contra a covid-19 em março de 2021. Para isso, a vacina desenvolvida com a farmacêutica AstraZeneca será produzida já em dezembro, sendo em janeiro obtida autorização dos órgãos competentes. Pequeno atraso ou avanço nesses prazos não escapa aos cuidados dos dirigentes da Fiocruz e os cientistas envolvidos no projeto, cujo primeiro lote de doses permitirá imunizar expressiva parte da população. Quem o diz é o vice-Presidente de Produção e Inovação em Saúde da respeitável instituição, Marco Krieger. Faz pouco mais de um ano o esforço da Ciência em busca da vacina. Para os que têm olhos fixados no retrovisor, só entre 5 e 10 anos bastariam para alcançar objetivo. A realidade, para os que preferem a Ciência à ignorância, a Vida à morte, revela-se diferente. Mate quantos matar, a guerra – qualquer guerra – jamais eliminará o anseio de Paz sobre a face da Terra. E a máxima romana (vis pax para bellum/se queres a Paz, prepara-te para a guerra), pode ser definitivamente sepultada.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Sobrecarga de trabalho

Imagino a sobrecarga de trabalho a que serão submetidos os servidores do Ministério das Relações Exteriores. Mais avancem as investigações da CPI da covid-19, mais será necessário reter passaportes. N

Confusão tola

As novas tecnologias da informação que na percepção de Marshall Mac-Luhan transformaram o mundo em uma aldeia global, nem sempre têm sido vistas com a seriedade necessária. Talvez aí esteja uma das ra

Policialesco

Quem ainda tenha dúvida sobre a transformação do Estado democrático de Direito em um Estado policial, leia com atenção noticiário sobre as irregularidades atribuídas ao ex-reitor da UFSC, professor Lu