top of page

Depoimento indispensável

Pelo YouTube, assisto à entrevista que José Genoíno concedeu à colunista Hildegarde Ángel. Ex-aluno de Direito e Filosofia, ex-guerrilheiro, ex-deputado federal, o nordestino do lugar chamado Encantado, no interior do Ceará foi uma das vítimas da tortura tão pródiga durante a ditadura. Nem por isso, Genoíno perde a serenidade ou mostra qualquer ressentimento ou rancor contra seus algozes e os que os aplaudem. Ao contrário, a forma como Genoíno analisa os fatos e atividades de que participou numa das mais funéreas fases de nossa História, é plena de raros equilíbrio e lucidez. Ele não busca, como boa parte dos que se dizem de esquerda, vitimizar-se. Também foge a qualquer manifestação de ódio contra os que o torturaram. Nem se ouve dele uma só palavra de desespero ou - melhor ainda dizer - de desesperança. Genoíno conta como foi sua vida de trabalhador na roça, ajudando o pai. Descreve sua mudança de endereço, primeiro para Fortaleza, depois para São Paulo. Pacientemente, relata sobre sua vida na clandestinidade e a presença no interior do Pará, como participante da guerrilha do Araguaia. Fala, ainda, das sucessivas prisões sofridas, e das perversidades de que foi alvo. Sem proferir um só palavrão, como recentemente era comum ouvir-se no Palácio do Planalto. A entrevistadora não poupou o entrevistado de perguntas que outros prefeririam não responder. Como também é comum aos que têm muito a esconder, sobretudo em ambientes policiais e judiciais. Genoíno não usa subterfúgios ou eufemismos. Responde de forma transparente, serena e firme, a cada nova inquirição dirigida pela jornalista. Não deixa, sequer, de esclarecer como é sua relação com Lula. Nem mesmo quando Hildegarde Ángel indaga sobre a eventual volta à vida partidária. Nada mais que pálido e sensaboroso resumo é contido neste texto. Melhor será ir ao YouTube, se o leitor quer saber mais sobre o professor de cursinho e os valores em que ele acredita e que confessa professar. O que lá se encontra é uma visão do Mundo capaz de levar a profunda reflexão do que é um ser verdadeiramente humano. Um cidadão quixotesco como os que mais o sejam. Um defensor das utopias - esse lugar tão desejado aonde ainda não chegamos. Quem sabe um dia?...

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

A soberania transferida

Muito se tem discutido a respeito do papel do Banco Central. Não o suficiente, porém, para permitir julgamento e manifestações destituídas dos valores e interesses postos em jogo, nem sempre de maneir

Mentalidade

Tenho chamado mentalidade zonafranqueana a certo modo de ver o Mundo. Algo expresso no que chamamos visão de mundo, em todo caso orientador de interpretações do ambiente social e físico em que estamos

A ZFM e a reforma tributária - 4

Uma coisa é certa: o Estado do Amazonas, que nada deve à União, não pode perder a competitividade que a Constituição lhe assegura. Outra coisa não pode ser ignorada: de prorrogação em prorrogação, a s

댓글


bottom of page