top of page

Choro por ti, Amazônia

- Ruy da Fonseca (Manaus/AM)

Choro por ti, Amazônia, lágrimas no volume do rio das guerreiras.

Choro ao derrubarem tuas árvores. Angelins, castanheiras, ipês... aguanos; imponentes sentinelas inertes que não revidam.

E no solo que fica nu, te cobrem com retalhos de2r 3 tons de verde. Choro porque quero te ver num só to4ppm, o verde de floresta virgem.

Choro ao ver secando os igarapés de águas transparentes, que serpenteiam a floresta, feitos pela cobra grande Boiuna com seu rastro.

Quero continuar a escutar o uirapuru essa e qo guinchar das araras e periquitos que bagunçam o teu silêncio.

Quero somente rios barrentos de assoreamento, não de rejeitminériosnérios que matam tua fauna.

Humanos? Bastam os que aqui vivem irmanados com os povos nativos, que não depredam; tão somente a subsistência.

Choro porque não te quero lenda como as do Boto Namorador, Matinta Pereira, Mapinguari, Muiraquitã...

Não quero um Brasil inteiro chorando.

8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

RS: É HORA DE FALAR DOS CULPADOS

A tragédia no Rio Grande do Sul não pode ser atribuída somente à mudança climática, como se ela tivesse batido na porta sem avisar. Em 2015, ainda no governo Dilma, a Secretaria de Assuntos Estratégic

A política da ignorância

José Alcimar de Oliveira* "A ciência incha" (1 Cor 8,1) 01. Pior do que a ignorância da política é ver o mundo tomado pela deliberada política da ignorância aos 300 anos do nascimento de Immanuel Ka

Comments


bottom of page