top of page

Chegando lá

A reabertura das investigações sobre o assassinato da ex-vereadora Marielle Franco e seu assessor Anderson Gomes permite imaginar loucuras. Não aquelas sugeridas por Rita Lee. Se a rainha do rock brasileiro tratava de relações privadas, o Ministério da Justiça desnuda fatos do interesse público. Deixa de ser mera suspeita ou produto de má fé ou preconceito tudo quanto se tem dito da intimidade existente entre setores da polícia - fardada ou não - e as milícias. Não se excluam dessas abjetas e delituosas relações alguns membros do Ministério Público e outros bem postados na estrutura do poder, nacional, estadual e municipal. Mais do que eventuais, têm sido muitos os momentos em que seus interesses convergem. Parece este o caso que a determinação e a firmeza do Ministro Flávio Dino resgata das sombras. A delação premiada de um dos comparsas na trama que matou Marielle e Anderson inaugura um período que será tão farto de luz quanto esse que um ex-magistrado digno oferece à nação.

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Pecadores e pescadores

Os pescadores em águas turvas não perdem tempo. Enquanto resistem à inclusão da carne dentre os itens isentos de impostos, inventam a isenção de armas, munições e tudo o que concorre para aumentar a v

Difícil desaprendizado

Ou fiquei analfabeto ou sou levado a grande confusão. Leio no Valor Econômico (10-7-2024, p.4) números relativos ao varejo. Lá se registra comparação das vendas entre os dois primeiros trimestres dest

Kommentare


bottom of page