top of page

Nova rodada*


Quantos 100 cabem

em 670 mil?

será sempre preciso

fazer contas

em contagens e vantagens

conferidas

se de morte se trata

ou de poemas

quantos darão conta

dessas vidas?


Quais os que viram

sorrateiro e zombador

um coronavirus

em si mesmo isolado

ou quanto for

o séquito por ele

ferozmente comandado

sem que haja uma só força

que o revide

e mate o que nele traz a dor


Triste bandeira

em que o vermelho

não é de tinta

nem a foice e o martelo

são tão novos

parte do povo

tornado exangue

o líquido vertido

de uma raça quase extinta

a dor esgotando todo sangue.


Manaus, 20-05-2022

__________________________________________________________________________________

*Quando os especialistas advertem para o risco de uma nova onda da pandemia e o 100º poema do autor nesta série, que agora fará uma pausa. Que o vírus também a faça!


31 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Desperdício

José Seráfico Não se admirem se alguém disser que isso é normal nem se surpreendam com a indiferença diante de tanto mal o que se tem feito à infância às velhas e velhos às mulheres aos negros promoçã

Quando e onde

Quantos serão os mortos? Onde explodirá a próxima bomba? Quando? Quantos se juntarão às centenas de milhares o vírus armado de natural letalidade cumprindo parte da tarefa a que outros (vírus ou verme

Porvir anunciado

Quero comer todo dia sonho com vida feliz o direito de sorrir é isso o que o povo diz e vê no que está por vir quando janeiro surgir De Porto Alegre, Florianópolis, dos Pampas, de Curitiba do Acre e d

Comments


bottom of page