Natal e pandemia

Com a trena

o velho mediu a distância

partiu do Norte

da força da rena

transporte e circunstância

fez o que lhe cabia

tenra era a noite

terno o sentimento

levado pela rena

atravessou montes

pairou sobre vales

águas florestas

cânions não lhe impuseram

medo

visitou mesas fartas

noutras não encontrou

um pedacinho de pão

mesmo assim

dão desistiu

a barba branca

misturava-se às nuvens

não fazia outro

o destino do trenó

a tarefa exigida

pelas cartas

trazia-o de volta

para o Norte

vencida a morte

ao velho restou apenas

ficar só...

Manaus, 15 de dezembro, 2020

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Trágico trajeto

Apto e alto vírus insistente na caminhada fatal em caminho nada alvissareiro insensível a todo toque exceção apenas dos clarins percorre espaço indefeso acuada a gente entre o Oiapoque Copacabana, Rio

Coroas, coronas, ...

Então um ser não-sendo tornou-o esquecido desdenhado qual sapato velho amarelada a festa colorida a vida o sangue do mais rubro vermelho Sequer a manjedoura pobre digna onde mirra incenso ouro sempre

Dobras da História

Dobram os sinos da igreja o suor do sineiro exalando vida, esperança no céu-mundo espalhada vontade de amor, paz bonança. Ramificam-se multiplicados abrangentes dor instante sofrimento pungente reduçã