Morto - o sonho?

Desta não escapamos

o vírus foi mais forte

forçou-nos a abandonar vocês

não sabemos se deixamos

só que trouxemos conosco

tanta saudade

a falta do beijo sorridente

do neto

a preocupação com o emprego

do filho

o jogo de damas

com o amigo

até o jornal de todo dia


O cafezinho tomado

a horas certas

mesmo o pijama velho

puído quase sem cor

veio conosco e nossas

saudades

não estamos tristes

a tristeza não

cabe em nosso coração

ressequido

exangue


Vale mais saber

menor o egoísmo

desaparecida a ganância

mais humanizados os que

se pensavam humanos

enfraquecido o desamor

removido todo preconceito

pactuada a felicidade

tarefa que a todos

atrai envolve entusiasma

não seja este

sonho incansável

morto junto conosco.






3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Coroas, coronas, ...

Então um ser não-sendo tornou-o esquecido desdenhado qual sapato velho amarelada a festa colorida a vida o sangue do mais rubro vermelho Sequer a manjedoura pobre digna onde mirra incenso ouro sempre