Mitologia


Presos no labirinto

pelos dedos de Dédalo

negado

encontramos Mefistófeles que

o fizesse

Teseu fez-se ausente

todavia

todo o tempo

impossível tessitura

não fosse a linha

da vida


Ariadne a tecelã

entretecendo ilusória

entristecida liberdade

vã tentativa

devolução improvável

do que nosso

fora

era

quando será?


Onde encontrar

fio libertador

bússola capaz

de nos fazer livres

dos estreitos

intrincados caminhos

obscuros

para onde

não se sabe


Oxalá

fosse miragem o

Minotauro

dispensados Teseus

improvisados

enfurecidos

longe o menor

arrazoado

covas tornadas batistérios

indesejados

trajetos tortos

viagem a lugar

ignorado

sem volta de que se

diga

para onde

não sabem os vivos

menos ainda os

que são - e serão -

mortos.


Manaus, 27.02.2021




1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Trágico trajeto

Apto e alto vírus insistente na caminhada fatal em caminho nada alvissareiro insensível a todo toque exceção apenas dos clarins percorre espaço indefeso acuada a gente entre o Oiapoque Copacabana, Rio

Coroas, coronas, ...

Então um ser não-sendo tornou-o esquecido desdenhado qual sapato velho amarelada a festa colorida a vida o sangue do mais rubro vermelho Sequer a manjedoura pobre digna onde mirra incenso ouro sempre

Dobras da História

Dobram os sinos da igreja o suor do sineiro exalando vida, esperança no céu-mundo espalhada vontade de amor, paz bonança. Ramificam-se multiplicados abrangentes dor instante sofrimento pungente reduçã