top of page

Esquerda – vou ver!

À esquerda,

ouço sons de amor

à direita

as vozes sugerem ódio

sonhos entram pelo

ouvido oposto

ao lado que me

traz tormentos

aterradores os sons

desumanas suas propostas

a fronte erguida

impassível diante

dos padecimentos

não esperem de mim

qualquer aposta

sinistros esses ouvidos

fazendo-se moucos

ganham sadia surdez

a me impedir

oferecer

alguma resposta


Talvez os olhos

- quem sabe?






6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Desperdício

José Seráfico Não se admirem se alguém disser que isso é normal nem se surpreendam com a indiferença diante de tanto mal o que se tem feito à infância às velhas e velhos às mulheres aos negros promoçã

Quando e onde

Quantos serão os mortos? Onde explodirá a próxima bomba? Quando? Quantos se juntarão às centenas de milhares o vírus armado de natural letalidade cumprindo parte da tarefa a que outros (vírus ou verme

Porvir anunciado

Quero comer todo dia sonho com vida feliz o direito de sorrir é isso o que o povo diz e vê no que está por vir quando janeiro surgir De Porto Alegre, Florianópolis, dos Pampas, de Curitiba do Acre e d

Comentários


bottom of page