Espacial

Laika foi primeiro

dos cães diz-se não

saberem distinguir

cores

aos animais basta

servir-lhes a ração

diferentes dos seus

amigos melhores

que os exploram

como exploram os outros

em eterna danação

ainda que capazes

de amores

ódios sonhos

... perdição


Coube a Gagarin

registrar:

a Terra é azul

variação cromática

do verde

a sugerir novos

matizes

quanto de nova e

promissora seria a

esperança

cor dos oceanos infinitos

outras matrizes

do espaço-tempo

sem fim

cabeça de poeta

quixote e

criança...


Nada de especial

posto que humano

como a usura

o ódio

o rancor

a cobiça

a urdidura

a pôr no pódio

desamor

permanente liça

de toda e invulgar

cavalgadura


Outros os cães

quando outros

Yurin percorreram

espaço tantas vezes

cobiçado

tingindo todo azul

de cinza e morte

em passeio alucinante

nas mochilas apenas

o desdém

o menosprezo

perspectiva de dor

dilacerante

e na garganta o

grito rouco

ainda preso...


Manaus, 17-09-2021


3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Da morte e dos seus tipos As cargas são diferentes talvez Caronte não o saiba nem saber lhe interessa não faltarão valquírias sedutoras à satisfação do Cérbero faminto Jet-sky não transporta cadáveres

Permanecem no ar ruídos e sentimentos deixados na cara de um negro sobre tapetes vermelhos tingidos da cor por pouco não liberada de um rosto agredido uma piada mal posta sendo a luva que armou a mão

Ah, não fosse dado ao homem viver tanto... se não tivesse olhar atento sempre pronto não veria desfilar diante de seus olhos quanta coisa a doer na alma ferir o corpo machucá-lo dispensável pranto enq