Borboletas

Contemplo-as

leves ágeis coloridas

adejando

pouso fugaz sendo

preparado

flor a flor

suavemente tocada

violada

toque suave lhes tira

doce alimento

suave o voo

veloz o pouso

pólen lançado

antes nos meus olhos

aturdidos

perplexos diante

dos reflexos

daquelas asas

pequeninas insinuantes

coloridas

até chegado o momento

de espalhar

em terra fértil

ou campo avarento

na tempestade ou no

mais suave vento

simplicidade de um gesto

tão complexo

a transcendência encontrada

no instinto

borboleta vida precária

somente um dia

na existência do jardim

a garantia

a impedir-lhe hora e vez de

ser extinto

e nos meus olhos

nunca marcar

o fim...

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Quantos 100 cabem em 670 mil? será sempre preciso fazer contas em contagens e vantagens conferidas se de morte se trata ou de poemas quantos darão conta dessas vidas? Quais os que viram sorrateiro e z

Da morte e dos seus tipos As cargas são diferentes talvez Caronte não o saiba nem saber lhe interessa não faltarão valquírias sedutoras à satisfação do Cérbero faminto Jet-sky não transporta cadáveres

Permanecem no ar ruídos e sentimentos deixados na cara de um negro sobre tapetes vermelhos tingidos da cor por pouco não liberada de um rosto agredido uma piada mal posta sendo a luva que armou a mão