40

Foram os dias

flutuantes de Noé

explorador do cio

de tantos pares

promessa de encher

de habitantes

rios florestas lagos

ilhas montanhas

mares...


quantos os anos

a Moisés dados

em trabalhosa cansativa

procissão

caminho esperançoso

para chegar

à sua terra da

promissão


quanto durou o jejum

de um salvador

as olivas desdenhadas

ao redor

necessário visitar o templo

vergastar o infiel

empedernido

com o chicote

promover-lhe o exemplo


nascido o filho

opulenta ou pobre

seja a cena

cercando a esperança

pelo amor desatada

que a bonança

chegue após a

quarentena


com Maomé

o tempo não se

fez diferente

Saul Salomão e Davi

de suas vidas

quatro décadas

dedicaram

a conduzir sua gente

numa busca incessante

envolvente


agora aturdidos

acovardados

frágeis sobreviventes

por um vírus

humilhados

vermes bípedes

de amor insolvente

solvem esperanças

sonhos muitas vezes

mal sonhados...

11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Coroas, coronas, ...

Então um ser não-sendo tornou-o esquecido desdenhado qual sapato velho amarelada a festa colorida a vida o sangue do mais rubro vermelho Sequer a manjedoura pobre digna onde mirra incenso ouro sempre

Dobras da História

Dobram os sinos da igreja o suor do sineiro exalando vida, esperança no céu-mundo espalhada vontade de amor, paz bonança. Ramificam-se multiplicados abrangentes dor instante sofrimento pungente reduçã

Prêmio fatal - covidados

Nem todos são convidados para o banquete. Às bodas de Canaã onde a água se fez vinho foram apenas os escolhidos. Talvez único a furar a festa um andarilho fazia milagres água transformada em vinho emb