Veto à vida

O veto do Presidente da República ao uso de máscaras em alguns estabelecimentos marcará talvez a necropolítica posta em marcha no País. Os patrões terão poder de vida e morte sobre os trabalhadores, podendo ou não fornecer-lhes máscaras e outros produtos de proteção. As restrições presidenciais à Lei estendem-se aos órgãos públicos, às escolas, estabelecimentos comerciais e industriais, templos e outros locais passíveis de aglomeração de pessoas. A salvação fica por conta dos governos estaduais e respectiva legislação. Graças ao STF, permanece com eles regular a matéria no âmbito de seus respectivos Estados.

3 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Aparências ilusórias

O pior juízo político advém quase sempre da superficialidade com que o fato é encarado. Descuidam-se assim os pretensos observadores do que está por trás dos fatos e dos atos. Contentam-se em apreciar

Palavras sem fingimento

Visito o interessante blog palavradofingidor, do poeta Zemaria Pinto, e me surpreendo. Lá está, beneficiário da extrema generosidade do editor, meu poema O tempo. Zemaria destacou-o dentre os poemas p

À palmatória

Durante muito tempo, recriminei Édson Arantes do Nascimento. Cheguei a destoar do culto a ele prestado, pela rejeição a certas condutas que se diziam dele. Cabelos encanecidos mostraram a prudência de

Arquitetado e Produzido por WebDesk. Para mais informações acesse: wbdsk.com

Todos os Direitos Reservados | Propriedade Intelectual de José Seráfico.