Arquitetado e Produzido por WebDesk. Para mais informações acesse: wbdsk.com

Todos os Direitos Reservados | Propriedade Intelectual de José Seráfico.

Verdade e verossimilhança

Verossimilhança, dizem os dicionários, é a qualidade do que parece verdadeiro, sendo que verdadeiro é o que mantém conformidade com o real. Isto posto, é a coerência entre o ser e o parecer que dá contorno à verdade. Para saber-se desta, não bastam preferências pessoais, desejos por mais justos que sejam, preconceitos muito menos. Os que lidam com a ciência sabem disso desde René Descartes. A rigor, quase toda descoberta científica resulta de algo que parece à primeira vista verdadeiro. Algo apenas verossímil em sua origem. Depois, pelo estudo criterioso (o que equivale dizer, submetido ao método)pode-se chegar à verdade. Sabendo-a, ainda assim, da precariedade que os tempos se encarregam de impor. Mesmo na ciência, as descobertas criteriosamente conduzidas acabam por ser contestadas e substituídas. Frequentemente, por descobertas registradas em áreas diferentes do campo de conhecimento inicial. Daí minha crença sobre ser toda descoberta científica uma verdade provisória. Apenas uma hipótese à falta de outra, melhor. A qualidade, neste caso, diz respeito à fundamentação da tese defendida.

Dito isto, de nada adianta especular sobre as causas e a veracidade - ou não, já que isso tem sido posto em causa - do assassinato do ex-capitão Adriano Nóbrega, no interior da Bahia. Se se tratou de queima de arquivo ou de simples (!) troca de tiros, ninguém poderá afirmar com a certeza necessária. Para chegar a esta, nada melhor que investigar criteriosamente os fatos. Nada nem ninguém deve estar mais interessado nisso que o Ministério da Justiça e Cidadania, a Polícia Federal e o Ministério Público. Além, é claro, de cada cidadão consciente dos riscos que corre, se tudo ficar como está. E como tem sido, ao longo do tempo.

0 visualização