top of page

Um mar vermelho

Um (não importa qual, tal a paridade entre eles) dos zeros à esquerda que se supõem herdeiros presuntivos de um trono inexistente, do alto de sua imbecilidade reclamou do colorido vermelho de que se tomou a Praça dos Três Poderes, com a posse do político que derrotou seu pai na eleição de outubro passado. Estranhou não ver o verde-amarelo conspurcado por sua famiglia tremular abaixo do pavilhão instalado no mastro do Planalto, durante a cerimônia a que seu pai conferiu dignidade e honra, pela ausência. Seria demasiado imaginar que algum desses algarismos nulos entendesse ser vermelha a cor da paixão e do sangue que corre no organismo das pessoas vivas - quando elas mesmas são de fato pessoas e se dedicam à Vida, delas e dos outros. Também não ocorreria a quem algum dia soube algo de algum deles tê-los como conhecedores do episódio relatado pela Bíblia, em relação à busca da Terra Prometida. Era Vermelho o mar aberto por Moisés, abrindo caminho e horizonte ao povo em busca de sua plena realização. Porque zumbis afoitos e zonzos, absolutamente ignorantes sobre o Mundo/mundo, suas gentes e coisas, nenhum dos zeros entenderia a cor que tem marcado todos os grandes movimentos populares, e não é de hoje. Aferrados a um passado que recua para muito antes dos anos 1980, a eles saberia a ofensa admitir a mínima possibilidade de compreensão da história do Mundo, mesmo a que já os tem como pacientes, dada a obscuridade que lhes frequenta cabeça, coração e alma - no caso de algum deles a ter. Sequer seu pauperismo intelectual e sua escassa inteligência permite extrair do fracasso do próprio pai a lição que o mais medíocre mas bem-intencionado cidadão colheria. Afinal, quem puxa aos seus não degenera, diz-se há muitas décadas, quem sabe séculos. A saudação do povo, enquanto Lula pronunciava seu memorável discurso depois de subir a rampa para exercitar feito inédito, um terceiro mandato presidencial, fez-se com a bandeira verde-amarela, sem joelhos postos diante de pavilhão nacional de outro país. Como seu pai, líder e ídolo não cansou de fazer.

12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

França e franceses

Mais uma vez vem da França o anúncio de novos avanços na História. Esta quinta-feira marca momento importante daquela sociedade, há mais de dois séculos sacudida pelo lema liberté, fraternité, egalité

Uso indevido

Muito do que se conhece dos povos mais antigos é devido à tradição oral e a outras formas de registro da realidade de então. Avulta nesse acúmulo e transmissão de conhecimentos a obra de escritores, f

Terei razão - ou não

Imagino-me general reformado, cuja atividade principal é ler os jornalões, quando não estou frente à televisão, clicando nervosamente o teclado do controle remoto. Entre uma espiada mais demorada e ou

Comments


bottom of page