Terceirização por dentro

A terceirização da administração pública federal talvez dê o toque original nesse desgoverno que nos infelicita. Enquanto o sinistro da Economia opera ou tenta operar a transferência do que sobra de nossas riquezas, por dentro da própria máquina ainda estatal e pública as coisas vão acontecendo. Paulo Guedes se entretém com os setores lucrativos e anuncia que, se depender dele, tudo será transferido à voracidade dos acumuladores. Pela dedicação a esse infausto propósito, prefere agir na sombra. Ostensiva tem sido, porém, a ação do Vice-Presidente Hamilton Mourão. A ele estão entregues questões das mais importantes e estratégicas, das quais duas devem roubar a maior parte do tempo do general: as investidas contra a população indígena e o desmatamento da Amazônia. Trata-se de problemas recorrentes e desafiadores, de tal modo que até mesmo posições consolidadas e que se pensava imutáveis apresentam alto grau de alteração. Quando se pensou que um grupo de empresários brasileiros reivindicaria o fim da devastação da floresta amazônica? Quem seria capaz de prever o encontro de um líder indígena com o Vice-Presidente? Menos, ainda, os que esperavam a própria Ministra da Agricultura, tão simpática ao agronegócio, criticar os devastadores. O curioso é a aparente resistência oficial ao fenômeno da globalização, ele sim, responsável pela inédita pressão que temos sofrido de outras nações e organizações internacionais. E os 20 trilhões estão em jogo, pois, pois...

Quando o Presidente Bolsonaro tentou pôr o Ministro-Chefe da Casa Civil, general Braga Netto à frente de um projeto que esvaziaria o Ministério da Economia, era menor a pressão externa. Paulo Guedes, por isso, ganhou o cabo=-de-guerra montado pelo Presidente. Agora, não. E como coisa séria não pode ficar na mão de gente como Ricardo Salles, o general Mourão terá muito com o que se ocupar.

2 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

O azar de Bolsonaro

Realmente, Jair Messias Bolsonaro consegue fazer tudo o que quer e que depende do Legislativo, do Judiciário e dos quatro zeros à direita. Neste caso, acho que a expressão está invertida. Os quatro é

Economia e vida

Desigualdade, taxação de grandes fortunas, inflação parecem palavras canceladas dos dicionários. Os especialistas e os curiosos – esses, então...! – raramente as mencionam em suas lições de rastejante

Eleição na Universidade

Preparamo-nos para mais uma eleição no ambiente universitário. Desta vez, está em jogo a entidade representativa dos professores e pesquisadores, o Sindicato nacional (ANDES)e seus braços locais, as a

Arquitetado e Produzido por WebDesk. Para mais informações acesse: wbdsk.com

Todos os Direitos Reservados | Propriedade Intelectual de José Seráfico.