Tentando compreender

De Luís Nassif, leio interessante tentativa de compreender o cenário político nacional. Jogando com o conceito de Estado Profundo, o articulista analisa as articulações, alianças e apoios com que se tem entretido nos últimos dias o Presidente Jair Bolsonaro. De Brasília, onde se instalou um país sem povo, tenta-se ajustar as áreas críticas do cenário descrito: os media, a Justiça e o mercado. Do Planalto, Bolsonaro opera buscando manter sob o poder central uma nação disciplinada. Esse processo vem do impeachment de Dilma, do interregno de Michel Temer e desemboca na aliança ultraliberal a que estamos assistindo. O documento Ponte para o futuro teria anunciado uma democracia mitigada, a que estamos vivendo. Outros analistas veem certa inflexão do Presidente para o centro, sem o que seu mandato correria o risco de interrupção. Isso explicaria a indicação de um católico, não um profissional terrivelmente evangélico, para o STF, e a intimidade com o centrão.

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Sem zona

Proposta do Prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues (PSOL) assegurou renda básica de R$ 450,00 aos vulneráveis, durante a pandemia. A decisão teria sido unânime, se uma das vereadoras não tivesse tido p

Trágica parceria

Tinha assento no falecido CDES-Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Presidência da República, quando a proposta de criar parcerias público-privadas estava sob os holofotes. Boa coisa, pre

Comparação

Aos fissurados por números, talvez valha comparar. Cuba, com pouco mais de 11 milhões de habitantes, registra menos de 20 mil casos (0,19% da população) de covid-19, dos quais morreram 180 (0,9% dos

Arquitetado e Produzido por WebDesk. Para mais informações acesse: wbdsk.com

Todos os Direitos Reservados | Propriedade Intelectual de José Seráfico.