top of page

Temer ou não

A descoberta do desvio de 21 armas de grosso calibre e alto grau de mortalidade coloca sobre a mesa, pelo menos, duas questões fundamentais. A primeira diz respeito à imagem antes projetada e ainda reivindicada pelas forças armadas brasileiras e, a outra, o uso do dinheiro público segundo o desejo e o propósito pessoal do governante. Afinal, as armas sumiram de um estabelecimento militar, de força responsável pela defesa da soberania nacional e do Estado Democrático de Direito. No primeiro caso, dada a gravidade do crime, de resto insinuando aliança entre militares e crime organizado, o abrandamento da inevitável punição trará o cheiro de cumplicidade. Pior, fará maior a dúvida sobre tratar-se de engajamento individual ou institucional. Quanto ao desvio de recursos públicos para beneficiar atividades lesivas ao Erário e, por consequência, à coletividade, hão de ser cobradas responsabilidades não apenas dos golpistas de 08/01/2023. Desde a aquisição dos equipamentos usados na arapongagem criminosa até a invasão de privacidade não-autorizada devem ser objeto de rigorosa, exaustiva e profunda apuração. Quem nada deve, nada há a temer.

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Prioridades

Pelo menos não se pode acusar o governador Eduardo Leite de insincero. É possível que nele se tenha manifestado o que meu velho e saudoso mestre de Direito Penal Aldebaro Klautau chamava oasis de honr

Pedagogia da porrada

A aprovação das chamadas escolas cívico-militares, pela Assembleia Legislativa de São Paulo deixou sua marca e, ao mesmo tempo, um presságio. Deu para ver cassetetes empunhados por policiais militares

Naufrágio semTitanic

É mais rápida a disseminação da mentira, comparada à divulgação da verdade. Ainda mais, quando o avanço tecnológico coloca à disposição dos mentirosos meios que asseguram, concomitantemente, anonimato

Comments


bottom of page