Para onde ir

O mais grave na vida social não é o debate entre as múltiplas formas de ver o Mundo, e nele inserir-se. Se há debate, há e haverá sempre a probabilidade de encontrar um caminho. Quando os temas, assuntos e problemas em discussão têm comprometido o necessário conhecimento sobre o teor das questões, aí fica enormemente prejudicada a caminhada que levará à solução. A ignorância, portanto, se não ajuda nem contribui para o deslinde e a solução, prejudica, atrasa, desvia e, no limite, impede o alcance do objetivo. Resumo: a ignorância será sempre mal-vinda, se temos a honesta intenção de remover obstáculos, solucionar problemas, fazer melhor a vida e a convivência humanas. Pior, ainda, quando a ignorância se assenta sobre os piores sentimentos de que o homem pode fazer-se guardião. Dizem os psicólogos melhor que todos, dos efeitos da frustração no comportamento das pessoas. A inveja, o ódio, a mentira, então, sobrepõem-se a tudo e fazem deletéria, negativa, perversa a participação de quem as ostenta, em qualquer tentativa de chegar à correção da situação indesejável. Lembro-me de um ditado de uso corrente em passado não tão remoto, para desvencilharmo-nos de presença incômoda, prejudicial, nociva sob vários ângulos: vai pra China, dizia-se. Era uma espécie de versão geográfica do vai tomar banho. Este, imagino, um modo elegante de considerar sujo, empesteado o interlocutor inoportuno. Há muito de sujo na situação ora tratada, a começar pela mente e pela boca dos inoportunos de hoje, mas não é disso que me ocupo agora. Interessa-me destacar a ignorância de figurantes travestidos, sem mérito algum, em protagonistas. Desde que a tecnologia começou a romper as fronteiras do Mundo, e a Pátria de Mao-Tse-Tung se rendeu ao mercado, qualquer que tenha sido a razão, a China passou à condição de maior produtor industrial do Globo. Esse mesmo Globo tornado plano pela ignorância. Para lá migraram grandes grupos empresariais, porque onde menos se pagam os salários, e se negam direitos ais trabalhadores, lá estará o paraíso dos exploradores. Os insumos necessários à produção de vacinas não fogem à regra. Mandar alguém para aquele imenso pedaço da Ásia, portanto, nem precisou ser escrito, dito, posto em leis e bandeiras. E transformou o país na segunda maior potência econômica do Planeta. Nesta hora, convém lembrar, a origem de toda e qualquer vacina. Em suma: todas as vacinas são chinesas. Sem fazer blague, não há como fugir a uma constatação, mesmo com aparência macabra. Aos que não pretendem vacinar-se, porque a vacina é chinesa, pode-se recomendar: vai pra cova!!! |Aqui, nenhuma originalidade, desde que aos paraenses foi recomendado morrer, porque moravam em áreas de risco.

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Direito de expressão e charlatanismo

Para dizer o menos, foi inoportuna a nota divulgada pelo Centro de Comunicação Social do Exército, a propósito de matéria publicada no semanário Época. Assinado pelo jornalista Luiz Fernando Vianna, o

Onde estão os amantes da vida?

Em meio à tragédia generalizada, Manaus ganha destaque nos media. Aos escândalos ligados à aquisição de equipamentos médicos necessários e medicamentos ineficazes, que governos estaduais e o federal t

Amazonas pós-pandemia

Veio, mais uma vez, da Ciência e dos que acreditam nela e a produzem, o melhor que poderia acontecer. A decisão unânime da Agência Nacional de Vigilância da Saúde- ANVISA em favor da aplicação emergen

Arquitetado e Produzido por WebDesk. Para mais informações acesse: wbdsk.com

Todos os Direitos Reservados | Propriedade Intelectual de José Seráfico.