Os barões da pandemia

A cueca do senador Chico Rodrigues (DEM-RR) desviou a atenção de todos, ocultando problemas graves de que o esconderijo do dinheiro do parlamentar é apenas um exemplo. A aproximação de supostos moralizadores públicos ao Presidente Jair Bolsonaro passa quase despercebida, entretidos todos na liquidação da operação que só se justificaria enquanto havia corrupção no País. No entanto, multiplicam-se os barões da pandemia, em todas as regiões. A compra de equipamentos e medicamentos fez necessárias mais cuecas. Não se tem ainda a oscilação das vendas desse produto, mas já se sabe quanto ventiladores, aspiradores e outros artigos proveram as contas bancárias de pessoas de bens. No estado de calamidade e de emergência, nada urge mais que meter as mãos nos cofres que há muito deixaram de ser públicos. Os barões são os donos deles.

2 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Retrato 19

Não fosse coisa pior, eu diria imoral a pretensão dos membros do Ministério Público de São Paulo. Sob alegação mentirosa e egoística, desejam eles ver-se incluídos dentre os primeiros a serem vacinad

Sem mato e sem cachorro

Cassar sempre será mais fácil que caçar. Nesta, precisa-se ter cachorro (à falta dele, gato serve). Na outra, o verbo substitui com vantagem o substantivo: matar é diferente de manter a mata. O cão ne

Triste destino

Se não podes contra o poderoso alia-te a ele. Esse o roteiro seguido pelo ex-senhor da Lava Jato, desmoronado muito antes do que imaginaria a mais criativa mente. Não dando certo a fundação urdida com

Arquitetado e Produzido por WebDesk. Para mais informações acesse: wbdsk.com

Todos os Direitos Reservados | Propriedade Intelectual de José Seráfico.