Onde está o inimigo

Sei que não é fácil entender como a sociedade moderna se organiza e qual o papel do indivíduo nesta história toda.

Mas também sei que essa compreensão não é privilégio de meia-dúzia de letrados e pode vir a fazer parte da vida de todos que questionam sua existência e queiram romper com o ciclo vicioso da desigualdade social.

Não basta ser rico para ter o espírito burguês, pois a burguesia enquanto classe social se constitui não somente do acúmulo do capital, mas de valores culturais e morais de dominação, com os quais forma seu arcabouço ideológico. Os que são desprovidos de riquezas materiais servem de manada para manter o poder dos que as possuem.

Não basta ser pobre para ter cultura proletária, já que encontramos uma maioria sem consciência de classe, vitimizada pela ideologia dominante e parte instrumental do seu poder.

Ora, diante de tais constatações entendemos o tamanho da nossa tarefa no processo histórico e não podemos esquecer que a sociedade continua se dividindo em classes sociais e que os inimigos de classe estão longe e próximo de nós. Do lado de lá é fácil identificar, mas do lado daqui eles caminham juntos, muitas vezes, disfarçados de aliados e companheiros, porém reproduzindo todos valores da ideologia dominante.

Há, também, aqueles com identidade econômica e que se transformaram em algozes da sua classe por opção, perfídia ou insignificância existencial. Estes, precisamos combater como inimigos de classe. São os capitães-do-mato.

Fora deste fluxo, devemos fazer a boa disputa pelas mentes e corações de todos.


Lúcio Carril

Sociólogo

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Paleta Poética*

poesia é imagem emoldurada pintada na tela da razão com as brilhantes cores da paleta da vida em nuances vivas de emoção pintura diáfana do que os olhos não veem registro relutante do tempo que não pa

Arquitetado e Produzido por WebDesk. Para mais informações acesse: wbdsk.com

Todos os Direitos Reservados | Propriedade Intelectual de José Seráfico.