O problema

Vejo crescer, embora sem a velocidade que penso necessária, o número de estudiosos que veem na desigualdade o maior problema a combater. Empedernidos defensores do modelo atual de apropriação da riqueza parecem fazer o mea culpa. Não descarto a hipótese de muitos serem levados pelo remorso. Devem ter olhado em torno e visto o que resultou de seu próprio egoísmo. Outros já se sentem seguros e satisfeitos com o que amealharam de riquezas materiais, qualquer a forma como o fizeram. É certo haver também os que superaram a obtusidade e a ignorância. Espero que sejam maioria os que chegaram à conclusão de que só os maus conseguem ser inteiramente felizes em meio a tanta infelicidade. E preferiram tirar esse peso, não dos ombros, mas da própria consciência.

3 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Palavras sem fingimento

Visito o interessante blog palavradofingidor, do poeta Zemaria Pinto, e me surpreendo. Lá está, beneficiário da extrema generosidade do editor, meu poema O tempo. Zemaria destacou-o dentre os poemas p

À palmatória

Durante muito tempo, recriminei Édson Arantes do Nascimento. Cheguei a destoar do culto a ele prestado, pela rejeição a certas condutas que se diziam dele. Cabelos encanecidos mostraram a prudência de

Justiça e veracidade

Foi preciso o Presidente Jair Bolsonaro decretar o fim da corrupção, para o conhecido personagem Justo Veríssimo, de Chico Anísio ser lembrado com maior frequência. Outro Chico, Rodrigues e vice-líder

Arquitetado e Produzido por WebDesk. Para mais informações acesse: wbdsk.com

Todos os Direitos Reservados | Propriedade Intelectual de José Seráfico.