O Brasil de ontem?!

Nacionalismo ou morte! Era o lema da Associação Social Nacionalista, exatamente há cem anos. A entidade justificava a expulsão de pescadores portugueses que moravam no Brasil, ao mesmo tempo em que o governo entregava 400 hectares de terras de Mato Grosso aos norte-americanos. A denúncia de João do Rio (o jornalista, teatrólogo, tradutor, cronista e romancista João Paulo Emílio (ou Alberto?) Cristóvão dos Santos Barreto Coelho, Paulo Barreto) consta do livro de R. Magalhães Jr., A vida vertiginosa de João do Rio, p.374. (Editora Civilização Brasileira, 1978).

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Mercado

Oferta e procura se encontram. Ao final, chegam ao objetivo buscado: o preço. Simples assim, diria o obediente general Pazuello. Atento a isso que se considera a principal lei de um ser etéreo, invisí

O coringa desastrado (?)

Migrante ministerial, o réu confesso Ônix Lorenzoni troca de pasta como quem troca de roupa. Perece certo ministro da ditadura, pau para toda obra. Com uma vantagem sobre o pretenso candidato ao gover