o amor nos tempos do coronavirus 19


para:

garcia marquez,

pelo mote deste poema

lave suas mãos

use sabonete

e as esfregue,

copiosamente,

em todos os sentidos

mas não o faça como pilatos,

em uma bacia

de sangue

use máscara

em todas

as ocasiões

e aproveite para

despir-se

das máscaras sociais

onde se esconde

respeite o isolamento social,

não se aproxime

menos de dois metros

do outro

mas não perca a ternura

de ser coletivo e de conformar-se

com as imagens frias dos

whatsapps, skies e outras

virtualidades

ame,

ame mais do que nunca

porque é preciso,

porque amar é completude e

libertação

suba e desça

o seu rio magdalena,

como fermina e florentino,

toda a vida!

paulo emílio

n. f. 19/05/2020

13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

A barbárie bolsonarista, o vírus e seu antídoto

Marcelo Seráfico A situação brasileira é, sob todos os aspectos, desgraçada. O vírus e a doença agravaram-na, pois atiçaram a labareda do bolsonarismo. É tolice cobrar racionalidade objetiva dos que t

A ETERNIDADE DO NOSSO AMOR

O relógio despertara às seis horas da manhã, mas a chuva forte insistia que eu permanecesse em seus braços, como se houvesse uma relação de harmonia entre os pingos d'água sobre o telhado e as batidas

Arquitetado e Produzido por WebDesk. Para mais informações acesse: wbdsk.com

Todos os Direitos Reservados | Propriedade Intelectual de José Seráfico.