Nova escola do passado

Tem-se como certa a redução de recursos para as áreas de educação e saúde, no próximo exercício. A Medida Provisória anunciada dá a volta por cima nos mandamentos constitucionais que fixam piso da transferência federal para Estados e Municípios. O que significa dizer que a situação da educação e da saúde pode piorar, no ano de 2020. Nada é dito a respeito da recuperação de impostos sonegados e da omissão no recolhimento da contribuição previdenciária e do FGTS. Ficam de fora, também, os fabulosos montantes tomados ao BNDES para estimular a economia de vários setores da iniciativa privada. Tudo, a juro muito aquém daquele que o cidadão comum paga aos bancos. O anúncio de reforma tributária não ilude ninguém mais. Serão poupados tanto os que sonegam, quanto os que sempre acham um jeito de burlar a legislação. Usando as tais brechas legais, como costumam dizer, sem vergonha nenhuma, os inimigos do imposto - seja ele qual for.

Na outra ponta de nossa tragédia, disciplinas sobre empreendedorismo passam a constar do currículo das escolas, mesmo as públicas. As professoras e professores poderão, ingenuamente às vezes, orgulhar-se de que seus alunos já sabem vender muito bem objetos trazidos de casa. Como testemunhei em entrevista de uma dessas profissionais sobre o ensino de atividades de troca-e-venda, em programa de televisão.

Espero a hora de ver pessoas defendendo entusiasticamente a inclusão da disciplina Armamento, Munição e Tiro, nas escolas do ensino fundamental. A não ser...

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

De inoportuno a necessário

A polarização política chegou a um tal ponto que se torna difícil imagina-la desaparecer tão facilmente. É justo reconhecer que muito dela é devido ao estilo do atual Presidente da República, apostado

Na linha de tiro

Cresce a literatura sobre o infausto período histórico de que somos protagonistas e pacientes. Têm-se posto em questão fenômenos relacionados sobretudo à fragilização da democracia. Pouco a pouco, sen

Menu da babugem ou da xepa

Confesso minha dificuldade em atribuir algum adjetivo suficientemente justo para qualificar o desqualificado sinistro da Economia. Ele não é o único nesse governo a reunir desqualidades tão agressivas