Nem sempre traição


Corrente no mundo literário, a equivalência entre tradutor e traidor é contestada por Jório Dauster. O diplomata brasileiro, também conhecido tradutor, teve entrevista editada na manhã do último sábado, na Tv-Senado. Elegante na aparência, nos gestos e na análise, Dauster deu verdadeira aula sobre o trabalho dos tradutores e exemplificou com a obra O apanhador no Campo de Centeio, de John Salinger, que ele verteu para o português. Além de sua capacidade literária, o aposentado do Itamaraty revelou quanto deteriorado está aquele Instituto. Lição dupla: em literatura e em política.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Nova colaboradora

Nicole Bomfim Seráfico de Assis Carvalho é uma jovem estudante, apreciadora da natureza e das imagens que ela oferece. Por isso, decidiu oferecer oi registro fotográfico do que seus olhos veem. Dela é

Silêncio incômodo

Não é que se deva conceder às Forças Armadas a guarda da Constituição. Para os que prezam a democracia, basta que os servidores públicos fardados se submetam aos mandamentos da Lei Maior. Nada além d

Acorda, Gutemberg!

Leitores, professores, indústria gráfica, editores, ilustradores e outras pessoas dotadas de inteligência sentem-se ameaçados. Os livros ficarão mais caros, caso sujeitos à tributação pretendida pelo

Arquitetado e Produzido por WebDesk. Para mais informações acesse: wbdsk.com

Todos os Direitos Reservados | Propriedade Intelectual de José Seráfico.