Nem Daniel, nem leões na Arena

Não vejamos na Justiça um estorvo aos avanços da sociedade. Nem imaginemos em cada um dos que a compõem novos deuses, a que os vícios não assistem. Como instituição e poder, não tem como alhear-se à realidade que o envolve. Que seus erros, em toda e qualquer hipótese, sejam apurados, punidos e corrigidos. Sem prejuízo do prestígio á instituição. Deem-se ouvidos, por exemplo, ao que diz a Juíza Federal Jaiza Fraixe, da seção do TRF1- AM. Segundo ela, o melhor a fazer com os promotores e frequentadores de aglomerações seria confina-los na Arena da Amazônia, bem guardados, até que todos estejamos vacinados. Dra. Jaiza não exige leões, nem o polegar que decidiria pela morte dos confinados. A compensação estaria em evitar a morte de milhares dos que amam a vida, pela alegria dos festeiros.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Sem zona

Proposta do Prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues (PSOL) assegurou renda básica de R$ 450,00 aos vulneráveis, durante a pandemia. A decisão teria sido unânime, se uma das vereadoras não tivesse tido p

Trágica parceria

Tinha assento no falecido CDES-Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Presidência da República, quando a proposta de criar parcerias público-privadas estava sob os holofotes. Boa coisa, pre

Comparação

Aos fissurados por números, talvez valha comparar. Cuba, com pouco mais de 11 milhões de habitantes, registra menos de 20 mil casos (0,19% da população) de covid-19, dos quais morreram 180 (0,9% dos

Arquitetado e Produzido por WebDesk. Para mais informações acesse: wbdsk.com

Todos os Direitos Reservados | Propriedade Intelectual de José Seráfico.