top of page

Nem a província, nem...

A demora em reconhecer a eleição de Lula, pelo Presidente da República, ajusta-se e se integra bem ao perfil da figura. Tanto do ponto de vista moral, político, quanto (des)humano. Ao silêncio presidencial correspondeu a manifestação em enxurrada da demanda diplomática reprimida (na expressão de um diplomata citado por Elaine Cantanhede), cumprimentando o eleito. Aqui, a lembrança de Tolstoi: para pintar o Mundo, pinta primeiro tua província. O ex-metalúrgico que presidirá o Brasil pela terceira vez entende muito de sua província. E, diante da repercussão internacional de sua vitória, mostra também que sabe lidar com o Mundo.

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Vacina necessária

Logo os negacionistas protestarão. O que lhes pode interessar, diante do anúncio da celebração de um acordo entre laboratórios, para a criação de uma vacina anti-mal de Alzheimer? Só quem nada sabe so

Convívio versus hostilidade

Está lá, na página 41 da edição da última quarta-feira, no Estadão. O artigo em que o festejado antropólogo Roberto da Matta coloca interessante e oportuno dilema. Entre os que convivem em paz e integ

Símbolos

Vera Rosa, colunista do Estado de São Paulo, considera as enchentes do Guaíba a covid de Lula. Não destaca a diferença de conduta do triPresidente, em relação ao seu antecessor. Mas elege três símbolo

Comments


bottom of page