Midas destes tempos

Nada contra a nomeação do general-interventor no Rio de Janeiro, para a Casa Civil da Presidência da República. Ela tem tudo a ver com a síndrome de Estocolmo que aflige o Presidente, expulso da corporação onde recruta sua equipe mais próxima. Além do que, a prerrogativa de escolher auxiliares é dele, constitucionalmente dele. O mesmo que prometeu militarizar tudo em que tocasse. Uma espécie de rei Midas sem ouro, mas com a espada.

1 visualização1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Confusão tola

As novas tecnologias da informação que na percepção de Marshall Mac-Luhan transformaram o mundo em uma aldeia global, nem sempre têm sido vistas com a seriedade necessária. Talvez aí esteja uma das ra

Policialesco

Quem ainda tenha dúvida sobre a transformação do Estado democrático de Direito em um Estado policial, leia com atenção noticiário sobre as irregularidades atribuídas ao ex-reitor da UFSC, professor Lu

Justa reverência

Denominar o prédio em que se instalou a Faculdade de Artes da UFAM de Maestro Nivaldo Santiago era o mínimo que o velho professor merecia. Fez-se justiça a ele, cujos serviços profissionais engrandece