Midas destes tempos

Nada contra a nomeação do general-interventor no Rio de Janeiro, para a Casa Civil da Presidência da República. Ela tem tudo a ver com a síndrome de Estocolmo que aflige o Presidente, expulso da corporação onde recruta sua equipe mais próxima. Além do que, a prerrogativa de escolher auxiliares é dele, constitucionalmente dele. O mesmo que prometeu militarizar tudo em que tocasse. Uma espécie de rei Midas sem ouro, mas com a espada.

1 visualização1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Palavras sem fingimento

Visito o interessante blog palavradofingidor, do poeta Zemaria Pinto, e me surpreendo. Lá está, beneficiário da extrema generosidade do editor, meu poema O tempo. Zemaria destacou-o dentre os poemas p

À palmatória

Durante muito tempo, recriminei Édson Arantes do Nascimento. Cheguei a destoar do culto a ele prestado, pela rejeição a certas condutas que se diziam dele. Cabelos encanecidos mostraram a prudência de

Justiça e veracidade

Foi preciso o Presidente Jair Bolsonaro decretar o fim da corrupção, para o conhecido personagem Justo Veríssimo, de Chico Anísio ser lembrado com maior frequência. Outro Chico, Rodrigues e vice-líder

Arquitetado e Produzido por WebDesk. Para mais informações acesse: wbdsk.com

Todos os Direitos Reservados | Propriedade Intelectual de José Seráfico.