Mercado e preço

Noticia divulgada ontem informa sobre suposta venda de sentenças, por magistrados amazonenses. Quase diariamente, sabe-se de mães acusadas de prostituir as próprias filhas. Dos primeiros fatos, sabemos ocorrerem Brasil afora (e adentro também). Dos outros, há lamentável e pouco diferente frequência. Que alguém pouco simpático às regras do mercado se revolte, é compreensível. Afinal, por definição, o mercado é o lugar onde oferta e procura se encontram, para fixar o preço. Se o mercado é o templo onde a religião põe o deus dinheiro em adoração, como defendê-lo e condenar a venda - de sentenças ou lá o que seja?


2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Sobrecarga de trabalho

Imagino a sobrecarga de trabalho a que serão submetidos os servidores do Ministério das Relações Exteriores. Mais avancem as investigações da CPI da covid-19, mais será necessário reter passaportes. N

Confusão tola

As novas tecnologias da informação que na percepção de Marshall Mac-Luhan transformaram o mundo em uma aldeia global, nem sempre têm sido vistas com a seriedade necessária. Talvez aí esteja uma das ra

Policialesco

Quem ainda tenha dúvida sobre a transformação do Estado democrático de Direito em um Estado policial, leia com atenção noticiário sobre as irregularidades atribuídas ao ex-reitor da UFSC, professor Lu