Mentira esquecida

Preparo-me para lançar Sete mentiras capitais. No livro, não está mencionada uma das maiores mentiras, que o noticiário de hoje suscita. A quebra da estabilidade do servidor público seria desnecessária, cumprida a legislação vigente. O período probatório, se levado a sério pelos gestores públicos, evitaria a vitaliciedade dos incompetentes, improdutivos e corruptos existentes no serviço público. Não devemos esquecer, porém, que esses também fazem carreira nas empresas. Ou a Lava Jato não tem revelado isso?

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

À tripa forra

Romero Brito, artista plástico residente em Miami, e Eri Johnson, ator, encheram o bucho (para usar a linguagem corrente no local), no almoço das mães, no Palácio Alvorada. Desde o alvorecer, carne as

Adiamento

A live de lançamento do livro O Festival da Canção de Parintins, narrativas dos compositores: História, Memória e Identidades (1985-2021), foi adiada. Não foi, nem será realizada hoje, 8 de maio. Logo