Manifestação indispensável


Dê-se de barato o envolvimento de 19 pessoas da família Bolsonaro e de seu círculo mais próximo em atividades ilícitas. Esqueçam-se circunstâncias ainda obscuras do suposto atentado ao então candidato, na cidade mineira de Juiz de Fora. Finjamos ignorar estranhos vínculos entre a família presidencial com milicianos fluminenses. Façamos de conta não nos ofender a prática delinquente das fake-news, entregue à gestão de um dos zero á esquerda que ostentam o mesmo sobrenome. Detenhamo-nos em fatos mais recentes, nenhum deles surgido ao acaso ou fortuitos, sem qualquer relação com toda a história de vida dos protagonistas. Nem trago á tona o ato terrorista responsável pela exclusão de Jair das fileiras das Forças Armadas. Não houvesse qualquer outra razão para isso, porque representantes dessas forças constituem hoje o muro de arrimo protetor. Ainda assim, desconsidero a preferência por uma solução negociada para eliminar o militar indisciplinado dos quadros castrenses. Considerar os auxiliares fardados de hoje de alguma forma partícipes daquela solução poderia ser injusto. Não o é, porém, formular a pergunta que não cala: por que militares respeitados na caserna, proclamados como defensores da democracia, aceitam permanecer em torno do Presidente, quando se acumulam provas do envolvimento do chefe com variadas ações ilícitas?

Queiram ou não, os generais que cercam o ex-capitão se estão – nem todos – definitivamente afastados da caserna, nem por isso podem-se considerar desvinculados dos princípios e valores que afirmam aprendidos e cultivados em sua vida profissional. Dos que ainda não estão na reserva remunerada, pode-se por melhor razão, cobrar mais fortemente.

Não é desejada pelos melhores brasileiros a intervenção militar ou a mínima agressão ao Estado democrático de Direito. Tem-se ouvido, neste período tão conturbado de nossa história, a reafirmação dos compromissos das Forças Armadas com a Constituição. A maioria dos brasileiros não quer nada diferente. Por isso, e para que não se meçam todos os militares pela mesma régua aplicável ao ex-capitão, todos esperamos cabal e ostensiva manifestação dos que têm seu nome e sua condição usados como anteparo aos descontentes com tanto opróbrio. Enquanto chega a quase 17 mil o número de mortos por uma pandemia desdenhada pelo homem que faz deles o escudo protetor.

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Vida engavetada

Já não constitui novidade para a maioria da população o desespero do Presidente da República e seu esforço para dificultar o funcionamento da CPI da covid-19. Nem se trata apenas de impedir o conhecim

O que é pior?

Chegamos à pole-position na corrida mortal disputada na pista da covid-19. Diferente de Rubinho Barrichello, a pilotagem de nosso carro tem encontrado êxito, fazendo-nos derrapar e ser ultrapassados p

Egoísmo no atacado

Manaus talvez tenha sido a primeira cidade a registrar uma das formas mais ignóbeis do egoísmo humano, nesta fase de pandemia. Aqui, pessoas desprovidas do menor senso de humanidade furaram a fila da

Arquitetado e Produzido por WebDesk. Para mais informações acesse: wbdsk.com

Todos os Direitos Reservados | Propriedade Intelectual de José Seráfico.