Liderança e hesitação

Mesmo se levarmos em consideração as observações de Ortega y Gasset (o homem é ele e suas circunstâncias), há certas virtudes irrecusáveis em quem exerce posição de liderança. De um médico-chefe, de serviço em pronto-socorro em que ingresse grupo numeroso de poli-traumatizados em estado grave, não se pode exigir comportamento semelhante ao de um coordenador de equipe de vendas, acomodado em confortável poltrona de gabinete. De ambos, porém, se pode legitimamente cobrar firmeza. Não se chega a essa condição sem o mínimo de conhecimento – sobre o assunto, as circunstâncias e as consequências da decisão a ser tomada. Em outras palavras, nada é mais nocivo à vida social que a hesitação. Se a proporção de ignorância cresce, com ela se multiplicam os maus efeitos da decisão tomada. Os exemplos estão aí, para quem os queira ver. É preciso, ainda assim, vencer a própria ignorância.

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Sem zona

Proposta do Prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues (PSOL) assegurou renda básica de R$ 450,00 aos vulneráveis, durante a pandemia. A decisão teria sido unânime, se uma das vereadoras não tivesse tido p

Trágica parceria

Tinha assento no falecido CDES-Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Presidência da República, quando a proposta de criar parcerias público-privadas estava sob os holofotes. Boa coisa, pre

Comparação

Aos fissurados por números, talvez valha comparar. Cuba, com pouco mais de 11 milhões de habitantes, registra menos de 20 mil casos (0,19% da população) de covid-19, dos quais morreram 180 (0,9% dos

Arquitetado e Produzido por WebDesk. Para mais informações acesse: wbdsk.com

Todos os Direitos Reservados | Propriedade Intelectual de José Seráfico.