João - do Rio e do Mundo

Quem pouco se preocupa com a cultura dificilmente saberá avaliar quanto dói nos outros a substituição do auditório cheio, as pessoas atentas ao que se passa no palco e tribunas, pela tela brilhando à frente do expectador. Também não terá condições de compreender com profundidade o significado dessa substituição, quando a vida se impõe a qualquer custo. Por isso, é importante continuar comemorando o Dia Mundial do Livro, determinado pela ONU e tornado obrigação oficial em Manaus. Decreto da Prefeitura o fez, entregando à ManausCult e ao Conselho Municipal de Política Cultural - ConCult a responsabilidade pela programação correspondente. Nem as restrições impostas pelos que valorizam a vida mais que a morte, a covid-19 sendo uma delas, farão passar em branco a data. Daí que durante todo o dia de hoje os interessados poderão assistir nos canais da internet às palestras e espetáculos inspirados pelo cronista fluminense João do Rio e pelo consagrado poeta do Amazonas, Thiago Amadeu de Mello. Este, tão conhecido no exterior quanto no Brasil, de Norte-a-Sul. O outro, talvez mais conhecido no exterior, em que pese sua participação ativa e ousada nas duas primeiras décadas do século XX, especialmente no Rio de Janeiro. De Thiago é dispensada qualquer apresentação nestas linhas, sabida sua posição privilegiada na comunidade literária e política, entre nós e admiradores espalhados pelo Mundo. De João Paulo Emílio Cristóvão (ou será Alberto?) dos Santos Coelho Barreto, todavia, não se pode dizer o mesmo. Basta mencionar não ser ele conhecido sequer pela maioria dos cursos de Comunicação Social ministrados no Brasil, nem por número expressivo dos dedicados professores lá instalados. Por isso, o convite e a programação deste Dia (amanhã, 23) pode ser lido na aba NA ONDA, deste blog. Vão lá, para depois ir ao canal que levará a público a meritória iniciativa da PMM/ManausCult/ConCult! Os amantes da cultura e os órgãos municipais que dela tratam não fazem coro aos inimigos das tradições e da História do povo. Por isso, não se calam quando sentem ameaçada qualquer manifestação cultural. Seguem Thiago, cantando quando tudo parece escuridão.


3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

O prato e o cuspe

Até certo ponto, surpreendi-me com a votação do atual Presidente da República, na eleição de 2018. Logo eu, que pensava não ter mais idade para ser pego de surpresa! Afinal, quase 60 milhões de votos

Nüremberg não pode ser esquecido

Os desafios lançados pelo Presidente da República às instituições não são recentes, como se sabe. Quando ele desejou explodir a usina de abastecimento de água da cidade do Rio de Janeiro, manobras de

O futuro que chega logo

Mais uma vez, a Argentina sai na frente, em relação a nós. Faz dias, parte da população argentina foi às ruas, manifestar-se contra a apropriação, por parte de grupos privados, da água que abastece as