Inspiração

Por texto de Demétrio Magnoli – nem sempre bem inspirado – descobre-se a fonte da política regressiva em vigor no Brasil. Se a ameaça de não admitir outro resultado eleitoral que o desaprove, e o anúncio de que reincidirá na insatisfação em 2022 é cópia da conduta de Donald Trump, o contexto mais amplo pode ser identificado. As invectivas contra a urna eletrônica ensaiam algo semelhante ao que o articulista da Folha de São Paulo chama utopia regressiva. Contando com a probabilidade de disputar a eleição de 2024 nos Estados Unidos da América do Norte, Trump pretende pôr abaixo o direito que a população negra conquistou plenamente somente em 1965. A supressão do voto dessa importante parcela de eleitores estaria na alça de mira do empresário e seus covardes terroristas. Cogita-se da hipótese de, virtualmente impedido de concorrer, o quase-ex-Presidente com mandato moribundo terá algum de seus zeros-à-esquerda para indicar.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Confusão tola

As novas tecnologias da informação que na percepção de Marshall Mac-Luhan transformaram o mundo em uma aldeia global, nem sempre têm sido vistas com a seriedade necessária. Talvez aí esteja uma das ra

Policialesco

Quem ainda tenha dúvida sobre a transformação do Estado democrático de Direito em um Estado policial, leia com atenção noticiário sobre as irregularidades atribuídas ao ex-reitor da UFSC, professor Lu

Justa reverência

Denominar o prédio em que se instalou a Faculdade de Artes da UFAM de Maestro Nivaldo Santiago era o mínimo que o velho professor merecia. Fez-se justiça a ele, cujos serviços profissionais engrandece