Indução

A ilegítima e inglória disputa entre o engomadinho governador de São Paulo e o ex-capitão Jair Messias Bolsonaro joga para segundo plano o problema principal. Ultrapassamos a impressionante cifra – 180.000 mortos – sem que um gesto das autoridades federais cause impacto favorável na população. Ao contrário, a cada novo pronunciamento, outra razão para o desespero. Não seria despropositado imaginar o aparente descaso e a manifesta negligência de grande parte da população em relação às recomendações das autoridades sanitárias, como indutoras do desânimo e da desistência de viver.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

O coringa desastrado (?)

Migrante ministerial, o réu confesso Ônix Lorenzoni troca de pasta como quem troca de roupa. Perece certo ministro da ditadura, pau para toda obra. Com uma vantagem sobre o pretenso candidato ao gover

Sem Roma, nem Romano

Perde o Brasil um dos seus intelectuais mais lúcidos, com a morte do filósofo Roberto Romano. Professor da UNICAMP, Romano deixa a memória de um cidadão preocupado com a ética necessária às relações h