Fugacidade

Enquanto acende o fogo com o ódio que o domina, o Presidentre Jair Bolsonaro vai-se revelando o exemplo vivo do indivíduo apto a viver na sociedade líquida de que fala Sigmunt Baumann. A decisão tomada poir ele não demora em desfazer-se no ar respirado pela sociedade brasileira. Daria boa tese de doutorado a análise do vai-e-vem presidencial, revelando quanta falta faz um projeto de nação. E quanto perde o País com a absoluta ignorância dos que o governam. O mais recente recuo refere-se à MP-garrote das Universidades federais.Qual será o próximo?

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Sem Roma, nem Romano

Perde o Brasil um dos seus intelectuais mais lúcidos, com a morte do filósofo Roberto Romano. Professor da UNICAMP, Romano deixa a memória de um cidadão preocupado com a ética necessária às relações h

Reprise

Até que enfim, o mensalão petista entrou em cartaz. Trazido em reprise, com sede no Ministério da Saúde e sua logística, já tem divulgados até o nome dos beneficiários. Ricardo Barros, mencionado pelo

Pobres e ricos

Quem ainda tenha dúvidas sobre a insensibilidade das elites brasileiras, tente encontrar as declarações do dono das Lojas Riachuelo. Flávio Rocha, expoente do Partido chamado Republicanos, joga-se ago