Fazendo justiça

Justiça se faça: tudo quanto o Presidente Jair Bolsonaro disse que faria, ele vem tentando fazer. Não se justificam, portanto, fingidas reações cada dia mais frequentes, dos que ontem o endeusavam e o tornaram a maior autoridade do País. Concorde-se ou não, a cabeça do Presidente é a mesma da campanha eleitoral. Nas raras vezes em que ele admitiu falar sobre os problemas que enfrentaria, era impossível esperar coisa diferente do que tem feito. Numa delas, chamou de Posto Ypiranga o sinistro Paulo Guedes. Por que, agora, as lideranças, que de tolas nada têm, ficam a reclamar do que fora anunciado?

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

O préstimo do imprestável

É falso dizer que nada se pode aprender com o (des)governo atual. As tragédias também ensinam. Assistimos ao troca-troca de que seis virarão meia-dúzia e chegamos a essa constatação: cuidado deve ser

Ministério-Lázaro

Levanta-te e anda! É como descrevem os livros sagrados a volta do irmão de Madalena, ao mundo dos vivos. Os vivos (e espertos) de hoje ressuscitam órgãos antes amaldiçoados. E tratam de provê-lo e faz

Baralho

As cartas estão na mesa. Foram conferidas e embaralhadas. Chegada a hora da partilha, a distribuição dentre os jogadores sem o que não há jogo, dá-se por falta de um jogador. Dependendo da modalidade