Falsidade e transparência

De tão útil a expressão caladas da noite não espera o sol pôr-se e cria seu próprio relógio. Ainda que sirva somente a meia dúzia de homens que se pretendem públicos. Não fosse assim a eleição para a Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Amazonas dispensaria a prática de crimes, como a alegada falsidade documental. Disso, porém, tratarão (assim espero) as autoridades policiais. A transparência, no entanto, é matéria constitucional. Os deputados certamente sabem disso mais que eu, simples eleitor.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Nova colaboradora

Nicole Bomfim Seráfico de Assis Carvalho é uma jovem estudante, apreciadora da natureza e das imagens que ela oferece. Por isso, decidiu oferecer oi registro fotográfico do que seus olhos veem. Dela é

Silêncio incômodo

Não é que se deva conceder às Forças Armadas a guarda da Constituição. Para os que prezam a democracia, basta que os servidores públicos fardados se submetam aos mandamentos da Lei Maior. Nada além d

Acorda, Gutemberg!

Leitores, professores, indústria gráfica, editores, ilustradores e outras pessoas dotadas de inteligência sentem-se ameaçados. Os livros ficarão mais caros, caso sujeitos à tributação pretendida pelo

Arquitetado e Produzido por WebDesk. Para mais informações acesse: wbdsk.com

Todos os Direitos Reservados | Propriedade Intelectual de José Seráfico.